só e imóvel a velar, encardido pelo sol e pelo tempo, testemunho de prantos, lamentações e orações.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014


com o peito cheio de emoção o velho anjo fica ao longe a observar, 
 nem tudo foi em vão,
 as folhas de outono que caem dão o toque de sua leveza,
 rajadas de vento,  aquele ar sublime,
 e mostras do poder do criador,
 com seus espirito da floresta , 
dão o ar de  santidade ao momento,
 e vem a transformação,
 como borboleta a sair do casulo, 
daquela lagarta marron e feia,
 para a mais linda e colorida criatura  esvoaçante,
 celebrando a liberdade do céu,
 e a descoberta do amor.


by joão

Um comentário:

  1. Eu adoro quando as borboletas amarelas ficam nas flores silvestres, nestes meses de chuva. Dar vontade de abrir os braços e sair voando com elas...

    ResponderExcluir